segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Pegada Ecológica

 
-->

O conceito de "pegada ecológica" foi criado por William Rees e Mathis Wackernagel no início da década de 90. A pegada ecológica é um meio de calcular e medir o impacto ambiental total realizado por uma pessoa ou uma nação em hectare(s)* – ou seja, o quanto de natureza usamos, o quanto de área biologicamente produtiva (capacidade ecológica) é explorada por nós. Através desse instrumento é possível descobrir quanto, em média, cada cidadão em determinado país utiliza dos recursos naturais disponíveis e quantos planetas em média precisaríamos para manter nosso estilo de vida.
Embora não seja uma medida precisa, exata, e sim, uma estimativa, a pegada ecológica é um avanço, pois torna menos abstrato o conceito de sustentabilidade. Assim podemos nos conscientizar acerca do nosso consumo ambiental e do que precisamos mudar em nossos hábitos para torná-lo mais compatível com uma realidade verdadeiramente sustentável.  
A pegada ecológica pode ser calculada através de alguns testes, um deles disponível  (mas não em português) no site da ONG do qual Wackernagel dirige (Global Footprint Network)   e através de outros testes similares, como o da WWF, o qual recomendo e é em nossa língua: 

http://www.wwf.org.br/wwf_brasil/pegada_ecologica/calculadora

Faça o teste e compare seu resultado com a média da população em cada país. 
 
Fonte: WWF, 2004

Precisamos urgentemente repensar nossa vida, nosso consumo, nossos hábitos...

(* 1 hectare = 10.000 m² = o equivalente, aproximadamente, a um campo de futebol)


por
Patrícia Reis.




5 comentários:

  1. Queridos colegas o que na realidade me chamou atenção nessa imagem do nosso planeta, foi a profundidade da pegada, as marcas que ficaram , ficam e ficarão em consequencia do nosso descaso.É necessario salientar que somos vitimas da nossa cultura consumista, mas isso não justifica que ficaremos inertes diante dessa nova situação degradane do planeta. Se pararmos para pensar em como conseguimos mudar nossos hábitos diante uma efermidade que nos acomete sem aviso previo, poderemos sim mudar tambem os habitos maleficos em função da preservação no nosso habitarte. Precisamos realmente tomar atitudes eoologicas, por mais dificeis que nos pareçam, para tentar regredir o tamanho e profundidade desta pegada. Diante do resultado do meu teste, que consumo equivalente a tres planetas, tenho um grande desafio.

    ResponderExcluir
  2. Isto é o que queremos deixar para nossos filhos e netos??? Que marcas vc quer deixar no planeta? Diminuir a pegada ecológica e os custos financeiros, e manter um contato mais próximo com os vizinhos, tudo isso se traduz em menos stress e um estilo de vida com mais sentido e realização. Assim se constrói um mundo melhor e sem tanta poluição!!!!!

    ResponderExcluir
  3. É vivermos com dignidade esta cada vez mais dificil, temos que mudar nosso estilo de vida, o brasileiro em si fica muito acomodado com essa situação, temos que melhorar essa 'pegada ecológica' para começarmos a fazer uma diferenciação com melhoria claro para em fim vivermos tranquilos e menos stressados!!!
    ( RAFAEL JÓSE CUNHA )

    ResponderExcluir
  4. A falta de recursos humanos “básicos” para a população carente é um problema que enfrentamos ao longo de muitas décadas. A “Ilha das Flores” retrata claramente o que acontece por muitos lugares do mundo, de forma nua e crua nos sensibiliza com cenas tão chocantes. O que fazer?! Como ajudar?! Ajudar com mutirões levando alimentos, trazendo um pouco de alegria e conforto. É necessário um acompanhamento frequente, a iniciativa de Patrícia Luna e seus alunos não cura, mas, alivia bastante, e fortalece não só a quem recebe, mas sem dúvida é de grande felicidade para os que contribuem. A esses precisamos nos juntar e fortalecer essa corrente do bem, levando ao menos um alívio para os que tanto necessitam.
    Alcilene Silva.

    ResponderExcluir
  5. JORGE LUIZ GOMES FAMA - TURMA N6 TURNO NOITE7 de abril de 2013 23:54

    Temos uma situação de integração do homem a sua natureza e isso vem desde os primórdios históricos e se da o fato de uma relação conflituosa de exploracoes dos recursos disponíveis, assim passando esses recursos gradativamente a criar, recriar e satisfazer suas necessidades, e de acordo com os dias atuais em que o capitalismo esta cada vez mais presente em nossos dias vemos que em decorrência dessa relação de integração e exploração é que percebemos que o trabalho humano, a partir da natureza, se diferencia de qualquer outra espécie de animais.
    Falamos muito na ideia de cuidar da natureza, a divulgação da sustentabilidade, em mudar a mentalidade das pessoas o mais rápido possível frente à fauna e a flora, frente à qualidade do ar que respiramos e as temperaturas que já estamos quase no limite de não suportar é muito bonito mas quando entra o capitalismo a ideia muda em relação a todo esse contexto pois o capitalismo de sobressae mais alto e a consciência das pessoas não conseguem assimilar que podem resolver os problemas da natureza com um rumo capitalista

    JORGE LUIZ GOMES

    ResponderExcluir